Acervo

Autores

Raphael Rabello

Rabello, Raphael Baptista
  • Compositor
  • ∙ Violonista de 6 e 7 cordas

Raphael Rabello nasceu em Petrópolis, caçula de nove irmãos em uma família extremamente musical. Seu avô materno, violonista, foi quem primeiro lhe influenciou. Numa casa frequentada por muitos músicos, ouvia dos clássicos à música regional nordestina, mas sobretudo muito choro. Aos 7 anos começou a tocar intuitivamente, passando, aos 12, a ser aluno de Meira. Aos 14 já formava Os Carioquinhas, seu primeiro grupo de choro, do qual faziam parte também sua irmã Luciana Rabello e o violonista Maurício Carrilho.  Com eles estreia em disco no ano de 1977, gravando o LP Os Carioquinhas no Choro, sempre impressionando a todos pela precocidade e talento. Em 1979, participa da primeira formação do conjunto Camerata Carioca (com Celsinho Silva, Joel Nascimento, Luciana Rabello, Luiz Octavio Braga e Mauricio Carrilho), quando desenvolve uma rica convivência com o maestro Radamés Gnattali, de cuja obra violonística se tornaria um dos principais intérpretes.

Durante sua breve e intensa carreira grava 22 discos - dos quais 16 instrumentais -, muitos em parcerias com artistas como Dino 7 Cordas, Elizeth Cardoso, Amélia Rabello, Ney Matogrosso e Paulo Moura, entre outros. Além desses, participa de aproximadamente 600 discos de diversos artistas no Brasil e no exterior. Exímio intérprete, logo se mostra também um compositor de qualidade, parceiro de letristas do calibre de Paulo César Pinheiro e Aldir Blanc. Recebe inúmeros prêmios em sua carreira e deixa dois discos inéditos nos EUA, para onde mudou-se em 1994. Lá, atua como professor convidado em uma universidade de música na Califórnia, experiência que estimula seu desejo de criar aqui uma escola de música brasileira de nível superior – a Universidade de Música do Brasil. O projeto, que chega a ser iniciado modestamente em Brasília, em parceria com o Reco do Bandolim, acaba se transformando, após a sua morte, na Escola de Choro Raphael Rabello – primeira no gênero no país.

Em 1995, o violonista volta ao Rio para concretizar outro projeto, chamado Orgulho do Brasil, que consistia na gravação de discos de compositores brasileiros. Nesse retorno, falece precocemente aos 33 anos de idade. Seu nome, no entanto, já estava gravado na galeria dos maiores artistas brasileiros. Continuador da tradição moderna do violão brasileiro, derivada dos clássicos e do choro, Raphael Rabello desenvolveu uma habilidade técnica sem precedentes, levando um sopro de energia e juventude ao choro, gênero até então associado a músicos mais velhos. Explorou todas as possibilidades técnicas do violão e, em particular, do sete cordas. Além de solista, tornou-se um acompanhador de extrema qualidade, cúmplice dos cantores e dos músicos com os quais tocava. Sua carreira, tão curta quanto brilhante, foi suficiente para gerar reconhecimento e admiração entre os maiores nomes da música dentro e fora do país.

Data detalhada de nascimento

31.10.1962

Data detalhada de falecimento

27.04.1995

Fonte de pesquisa

ALBIN, Ricardo Cravo. MPB - A História de Um Século. 2ª ed. Revista e ampliada, Rio de Janeiro: MEC/Funarte/Instituto Cultural Cravo Albin, 2012. ALBIN, Ricardo Cravo. Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira - Criação e Supervisão Geral Ricardo Cravo Albin. Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006. AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio Editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014. AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982. BARBOSA, Valdinha e DEVOS, Anne Marie. Radamés Gnattali - O eterno experimentador. Rio de Janeiro: Funarte, 1985. CABRAL, Sérgio. Elisete Cardoso - Uma vida. Rio de Janeiro: Lumiar Editora, S/D. CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965. COUTINHO, Eduardo Granja. Velhas histórias, memórias futuras. Rio de Janeiro: Editora Uerj, 2002. EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/Funarte, 1978. EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro, 1982. MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999. MARIZ, Vasco. A canção brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000. MÁXIMO, João. Paulinho da Viola - sambista e chorão. Rio de Janeiro: Série Perfis do Rio, 2002. SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume 1. São Paulo: Editora 34, 1997. TAUBKIN, Myriam (org.) - Um Sopro de Brasil. Projeto Memória Brasileira, 2006. Verbetes redigidos por Maria Luiza Kfouri TAUBKIN, Myriam (org.) - Violões do Brasil. Textos de Maria Luiza Kfouri. 2ª edição: Editora SENAC, São Paulo, Edições SESCSP, 2007 TINHORÃO, José Ramos. Música popular - teatro e cinema. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 1972. VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira. Vol. 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965.

Natural

Petrópolis - RJ